Mensagem do Director Geral | Pré-Inscrição

INSTITUTO POLITÉCNICO DE TECNOLOGIA & EMPREENDEDORISMO

Sucesso 100 Limites

Historial

Em 2007, a VIGA Consultoria em parceria com o Ministério da Juventude realizou em todas as capitais provinciais do país formações em matéria de “Liderança e empreendedorismo Juvenil” no âmbito do Fundo de Apoio às Iniciativas Juvenis. Durante as formações, a equipe teve oportunidade de interagir com muitos jovens oriundos de diferentes pontos do país. Ao longo das discussões, constatou-se que os adolescentes e jovens tinham grande capacidade de iniciativa, visão e trabalho árduo, porém, faltava-lhes capacidade de sistematização das suas ideias e de gestão.

Durante as formações de Tete e Nampula, o antigo director nacional dos Assuntos da Juventude, José Neves Maluleca (já falecido), o Dr. Aniceto dos Muchangos, o Eng. Eusébio Martins Saíde, entre outros especialistas, constataram que as formações de curta duração oferecidas pelo Ministério da Juventude e Desportos não eram abrangentes para os jovens carenciados, principalmente os das zonas rurais. Foi também constatado que, devido ao baixo nível de escolaridade, a similação das matérias dadas era fraca, fazendo com que as formações fossem menos eficazes em relação ao descubrimento e desenvolvimento das potencialidades dos jovens. Portanto, tinha que se fazer alguma coisa urgente para salvar a vida desses jovens... Para o efeito, concluiu-se que para os cursos terem o impacto desejado era necessario aumentar-se a duração dos mesmos, cursos de longa duração (6 a 24 meses). Deste modo, era imperioso a criação de uma instituição privada de ensino técnico com “enfoque no saber fazer” para; por um lado, ajudar a minorar a falta de vagas nas escolas públicas e, por outro, dar oportunidade de formação aos adolescentes e jovens de famílias de baixa renda.

Para garantir a inclusão, era necessário que o acesso aos cursos pelos estudantes fosse livre e gratuito. É desta maneira que a VIGA Consultoria, hoje, VIGA Holding, tomou a peito o desafio de criar o IPET- Instituto Politécnico de Tecnologia e Empreendedorismo, em 2008 que em Fevereiro de 2009 começou com a actividade lectiva.

A missão do IPET é de contribuir para uma formação sólida, moderna e relevante dos adolescentes e jovens provenientes de familias de baixa renda em Moçambique para garantir o alcance do seu potencial e inserção socioeconómica, portanto, “ajudar os adolescentes e jovens a realizar o seu sonho”, através do desenvolvimento das capacidades de liderança e empreendedorismo.

ABRANGÊNCIA

O IPET tem a sua sede na cidade de Maputo e delegações em Quelimane-2010, Nampula-2011; Beira-2012; Pemba–2013, Tete-2014 e Niassa em 2016.

FUNCIONAMENTO

O IPET funciona com 15 cursos médios técnico-profissionais, nomeadamente: Administração Publica e Gestão de Recursos Humanos; Assistência Jurídica e Judiciária; Contabilidade e Auditoria; Construção Cívil e Obras Públicas; Gestão Bancária e Seguros; Gestão de Hotelaria e Ecoturismo; Geologia e Mineração; Marketing Digital e Multimedia; Petróleo e Gás; Gestão Aduaneira e Logística; Electricidade Industrial; Geodesia e Cartografia; Saúde Pública e Gestão Ambiental; Saúde, Ambiente e Segurança no Trabalho; Informática e Telecomunicações.

Para cumprir com os seus objectivos o IPET possui um quadro de pessoal administrativo (CTA) muito experiente e competente, entre médios, licenciados e mestrados. Na área de docência, O IPET conta com 300 docentes em todo o país, 20% dos quais com o grau de mestrado, 60% Licenciados e 20% Bacharéis, mas com alta experiência na área de formação técnico-profissional e vocacional.

INGRESSO E DURAÇÃO DOS CURSOS

Para o ingresso, são admitidos indivíduos que tenham concluído a 10ª Classe ou 12ª ou o equivalente ao SNE. Os cursos têm a duração de 2 anos Lectivos + 6 meses de estágio e elaboração do trabalho final do curso.

INFRA-ESTRUTURAS

No âmbito de implantação do Plano Estrátegico 2011-2015 que preconiza a implantação de infra-estruturas em todas as delegações provinciais, está a ser construido em Maputo um edifício de quatro andares, com 20 salas de aulas, 2 laboratórios, 2 salas de informática, 2 bibliotecas, ginásio, direcção pedagógica, sala de professores e sector administrativo.

Tem em Chiango, bairro de Albazine, o plano de construir o seu campus universitário, com laboratorios, salas de conferências, bibliotecas, farmácia, centro de saúde, entre outros empreendimentos de desenvolvimento social.

CORPO DISCENTE

Actualmente o IPET conta com cerca de 5.500 estudantes a nível nacional, metade dos quais, em Maputo e os restantes distribuídos pelas suas delegações provinciais. A maioria destes estudantes provém de famílias carenciadas e precisam ter uma formação técnico-profissional que possa permitir a melhoria da sua qualidade de vida e das suas comunidades.

METODOLOGIA DE ENSINO

O IPET privilegia no seu processo de ensino e aprendizagem metodologias participativas e interactivas, caso do Método de Ensino Baseado na Resolução de Problemas “Problem Based Learning Approach” ou método de ensino centrado no aluno”. O que significa que o aluno detém 75% da responsabilidade na produção de conhecimento na sala de aulas e o professor 25% da responsabilidade.

O docente na sala de aula é apenas facilitador dos processos de discussão, geração de ideias, conceitos e de conhecimentos. As aulas consistem de seminários, palestras, debates, trabalhos em grupos e individuais, discussões de estudos de casos, simulações de cenários, e práticas de campo ou laboratoriais.

Esta abordagem permite o desenvolvimento das potencialidades do aluno através do saber fazer, ser e estar. O trabalho de culminação do fim do curso, após o estágio de 4 meses é um plano de negócio.